DFC - Sequência Animalesca de Bicudas e Giratórias

R$ 20,00
ou R$ 19,40 no depósito
. Comprar  

Formada na capital federal do país em 1993, a banda DFC segue em atividade ininterrupta. A base sonora sempre foi punk/hardcore e com o tempo o crossover foi se tornando a principal característica. Ainda que participando de splits e coletâneas ao redor do mundo (Japão, Peru, Portugal e República Tcheca), os brasilienses não lançavam um disco cheio há nove anos - desde O Mal Que Vem Para Pior (2005). A espera foi quebrada com Sequência Animalesca de Bicudas e Giratórias e suas 23 faixas, sendo duas bônus regravações (Todos Eles Te Odeiam e O Vírus do Peculato). Da introdução Venom, com narração de Lou Garcia (Warped Reality Pictures, Los Angeles, CA), ao encerramento escondido com a montagem de sons que vão de filmes antigos a memes atuais (e uma roupagem nova a um velho som polêmico), o DFC não dá muito espaço para respiro. Alguns títulos dão a ideia de que a temática da banda continua afiada: A Bosta Humana, O Pão Que o Diabo Vomitou, Dia de Fúria Candango, Pesadelo Anal, Caos Na Capital e Cidade de Merda. As músicas são curtas, raras as que passam de um minuto, velozes, pesadas e repletas de ironia, como em Conversa Pra Boy Dormir (que ganhou clipe), Dirty Sanchez, O Alienista, Almoçando Abutres e Filho da Puta.

Uma curiosidade é que este disco foi gravado duas vezes, uma para o CD e uma para o LP, ainda que ambos possuam as mesmas músicas. A do vinil foi num clima “ao vivo no estúdio” em Setembro de 2011 no RockLab, em Goiânia/GO, com Gustavo Vazquez, e masterizado no West West Side Music em NY por Alan Douches (Madball, Municipal Waste, Misfits, Cannibal Corpse, Hatebreed, 25 Ta Life). A versão em CD foi gravada, mixada e masterizada por Marcos Paulo Pagani no Orbis Estúdio, em Brasília/DF, entre Agosto de 2013 e Janeiro de 2014. Existem pequenas diferenças em algumas músicas/letras, mas no final é a mesma briga de rua entre a indignação do cidadão comum e os políticos corruptos roubando a torto e a direito (ou direita). Governo, igrejas e outras instituições estão no alvo de Túlio (voz), Miguel (guitarra), Leo (baixo) e Fabrício (bateria). A capa ficou nas mãos de Zander Rocha, que já fez outros trabalhos do DFC. [Resenha por Ricardo Tibiu]

• Prazo para postagem:
• Código do produto: 60E4FE
• Quantidade mínima: 1
• Frete: grátis
Veja também